NOTÍCIAS
02/08/2017 | 12h00

Indústria

Mais de 60% dos carros não atendem ao Inovar-Auto

Dados indicam que 551 modelos excedem em consumo e emissões


GIOVANNA RIATO, AB

As montadoras trabalham para se livrar este ano de uma incômoda pedra no sapato: as metas de eficiência energética que o Inovar-Auto impõe aos carros vendidos no Brasil a partir de 2018. O programa chega ao fim em dezembro deste ano e dará lugar à Rota 2030, política industrial que está em discussão e deve buscar redução mais rigorosa no consumo de combustível e nas emissões de poluentes para além de 2022. Dados preliminares apurados por Automotive Business com base no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) do Inmetro/Conpet, mostram que 60% dos carros à venda no País não atendem à redução mínima de 12% no consumo de combustível exigida pelo Inovar-Auto em comparação com 2011 – porcentual que equivale à média de consumo energético de 1,82 MJ/km (com base no peso médio do carro nacional de 1,21 tonelada). Isso não quer dizer contudo, que a meta geral não será atingida, porque ela é calculada sobre a média da frota vendida de cada fabricante (leia mais abaixo).

-Veja aqui os dados de consumo
-Veja outras estatísticas em AB Inteligência

As empresas que não atenderem à legislação de melhoria de eficiência energética estão sujeitas a multas cobradas sobre cada carro irregular vendido, valor que poderia chegar bilhões de reais. Com ajuda de especialistas, a reportagem analisou 551 modelos oferecidos no mercado nacional listados no PBEV em outubro passado. Enquanto a maior parte não atende ao Inovar-Auto, 12,7% destes veículos cumprem a exigência de melhoria mínima. Outros 27,1% superam este patamar de redução das emissões e, como resultados isolados, alcançam nível que garantiria descontos no IPI. São 100 carros que apresentam redução consumo acima de 15%, o que rende à montadora desoneração de 1 ponto porcentual no IPI caso este fosse o resultado médio de toda a frota vendida. Outros 149 carros alcançam a meta mais desafiadora do programa, com economia maior que 18,8% e média abaixo de 1,64 MJ/km.

RESULTADO FINAL DEPENDE DO VOLUME DE VENDAS

Ainda que os dados isolados do PBEV mostrem um cenário genérico da eficiência energética dos carros à venda no Brasil, no fim das contas os resultados podem ser bem diferentes dos números apurados pelo Inmetro, já que o Inovar-Auto considera a média ponderada da frota efetivamente emplacada, não do portfólio de modelos ofertados. Uma empresa que tem uma série de carros beberrões em sua gama e alguns poucos veículos eficientes pode garantir boa performance se estes últimos corresponderem à maior parte de suas vendas.

Dessa forma, na corrida para atender ao Inovar-Auto, a restrição da oferta de automóveis mais poluentes nas concessionárias pode ser estratégia vitoriosa. Ao longo de 2017 as montadoras ainda seguem promovendo ajustes na gama, com a retirada de alguns carros e a oferta de versões mais amigáveis ao meio ambiente (e ao bolso). O prazo final para as medições é em setembro deste ano para que os resultados sejam submetidos ao governo no mês seguinte.

Audi, a Ford e a Nissan foram as únicas três marcas que anteciparam as medições para setembro de 2016, a primeira data possível. As empresas desenharam estratégia para cumprir a meta intermediária de redução de 15% no consumo e assim garantiram o direito ao desconto de 1 ponto porcentual no IPI já a partir deste ano (leia aqui).

Com este resultado, a Audi é um bom exemplo de que é possível alcançar o patamar imposto pelo Inovar-Auto mesmo com ampla oferta de veículos que extrapolam o nível de consumo de combustível permitido pelo programa. Dos 45 modelos vendidos pela marca alemã no Brasil, 75,5% não atendem ao nível mínimo de melhoria da eficiência energética. Ainda assim, a marca não só cumpriu o patamar exigido como superou e recebeu incentivo adicional, pois suas opções mais econômicas foram também as mais emplacadas. Além disso, outra característica particular da Audi é que seus carros usam o sistema start-stop, que influencia pouco a medição na bancada de testes, mas aumenta substancialmente a economia no anda-e-para das cidades, por isso o equipamento garante créditos extras de eficiência fora do ciclo de medição.

Os resultados vistos até agora são um indício de que, no fim do Inovar-Auto, a ampla maioria das montadoras brasileiras deve alcançar as metas do programa, como demonstra recente levantamento da consultoria Bright, que levou em conta também o volume de vendas de cada modelo para calcular os índices já atingidos pelas fabricantes (leia aqui). Aparentemente os números impostos não são tão rigorosos quanto a indústria apontou há alguns anos, quando as metas foram anunciadas e as empresas declararam que teriam de fazer investimentos milionários em tecnologia para cumpri-las.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 18/10/2017
Medidas simples e novos estudos ajudam na redução de emissões de CO2

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
AUTOINFORME | 11/10/2017
Onix e HB20 elevam o patamar de entrada no mercado brasileiro
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes