ANÁLISE

AUTOINFORME

Uma fábrica de conteúdo para fisgar o consumidor


FCA cria departamento para monitorar cliente virtual


O Brasil é um dos países mais conectados do mundo, nada menos do que 95% dos compradores de carros têm hábitos de compra digital; eles gastam dez horas na internet pesquisando e fazem 300 consultas antes de decidir pela compra. Esse novo comportamento se dissemina com tamanha rapidez e intensidade que hoje, quando o consumidor chega à loja, já sabe o carro que vai comprar. Estatísticas dizem que 60% deles estão totalmente informados e decididos quando se dirigem ao ponto de venda. E os outros 40%, se ainda não decidiram, estão bem próximos disso, pois também se informaram sobre os modelos disponíveis, visitaram sites de montadoras, leram revistas e sites automobilísticos, consultaram amigos e conhecem qualidades e defeitos do carro que pretendem comprar. Em suma: aquele consumidor que entrava na concessionária para ver o “o que tem pra comprar” não existe mais.

Mas se a decisão já foi tomada, o que faz o vendedor? Por mais paradoxal, mais contraditório que possa parecer, o papel do vendedor ganha ainda mais importância no mundo digital. O que muda é a sua forma de atuação, que começa bem antes de o consumidor entrar no. A Jornada do cliente potencial pode começar meses antes da efetivação da compra, e para acompanhar sua trajetória rumo ao fechamento do negócio a FCA montou uma estrutura na sua sede em São Paulo que permite o monitoramento passo a passo, a partir do primeiro sinal do desejo de aquisição de um veículo.

Num amplo espaço com grupos de mesas e painéis digitais que monitoram em tempo real os visitantes dos sites da empresa, um grupo multiprofissional trabalha para a captação e acompanhamento dos clientes. Um sistema que lembra o coworking, tendência verificada nos Estados Unidos que consiste em compartilhar o espaço de trabalho com profissionais, mesmo que não pertençam à mesma empresa nem realizem tarefas parecidas. No caso da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), todos trabalham para a empresa, mas não são necessariamente funcionários da montadora. Estão ali para, cada qual com a sua especialidade, conquistar o comprador.

Uma vez verificado o interesse de um ou mais consumidores em conhecer algum detalhe do carro – como a capacidade do porta-malas do Palio ou o câmbio automatizado do Mobi –, o publicitário da área de criação ali locado produz a peça publicitária para atender essa demanda específica.

A equipe identifica, por exemplo, quais são os kits mais montados pelos internautas, quais os equipamentos mais procurados, quais os itens que provocam mais dúvidas aos clientes e a partir dessas informações produz mensagens e peças publicitárias distintas, trabalhando com a tríade atender, produzir e viralizar.


Sala de monitoramento digital da FCA, para entender os desejos dos
clientes potenciais que visitam os sites das marcas do grupo


“Não é modismo”, alerta o presidente da FCA América Latina, Stefan Ketter, mostrando entusiasmo com a estrutura montada para fisgar o cliente que dá o mais tênue sinal de interesse em comprar um carro na rede de computadores. “Cinco milhões de brasileiros visitam os sites de nossas marcas todo mês. Nosso objetivo é captar o interesse deles numa época de superabundância de informação de todos os lados e conseguir sua atenção.”

O executivo explica que a formação do pool de profissionais – de dentro e de fora da empresa – é uma necessidade e que o objetivo é fazer parcerias: “Queremos parceiros; o mundo é o compartilhamento dos fazeres”, pontifica.

Ketter cita algumas empresas, como Banco Itaú, Natura e Magazine Luiza, que trabalham nessa linha. “A concentração das ações leva a decisões rápidas. Todos trabalham a menos de 40 metros um do outro, o que permite um contato imediato. Não é preciso marcar reunião para definir uma ação. Basta se dirigir até a mesa do colega e resolver o problema. As decisões são imediatas. Tudo se resolve rapidamente.”

“O que gera valor numa empresa?”, pergunta Ketter, para ele mesmo responder: “É o conteúdo. Valor é contar a história da empresa, dos seus produtos, gerar conteúdo e usar todos os canais disponíveis. É isso que fazemos. Montamos uma fábrica de conteúdo”.

A estratégia é produzir informação a partir de um olhar atento à mudança do comportamento do consumidor, a sua caminhada on-line rumo à compra. A equipe multidisciplinar atua para garantir a entrega de todos os conteúdos e soluções digitais da empresa de forma integrada, trabalhando de maneira estratégica as plataformas digitais e amarrando as narrativas para cada público: desenvolve ações para aplicativos, sites, redes sociais, atendimento ao cliente, tudo em tempo real, além de monitorar os dados.

O resultado é uma produção de material com a mensagem e a oferta certa por um custo menor e com mais objetividade: no conteúdo, na linguagem e no canal que atingirá com mais eficácia o consumidor.

As informações captadas com o monitoramente feito pela fábrica de conteúdo da FCA permitem ainda um investimento mais racional na mídia tradicional, como enfatiza João Ciaco, diretor de comunicação: “Esse trabalho não elimina o investimento na mídia tradicional; precisamos da mídia de massa para gerar conhecimento, mas a compreensão do comportamento do consumidor digital nos permite fazer uma ação mais racional”. Ele se refere ao controle que a fábrica de conteúdo tem dos hábitos dos interessados na compra: o monitoramento revela o melhor dia, o melhor horário, a melhor forma de comunicar as informações ao internauta, o que permite uma ação publicitária mais objetiva, menos dispendiosa e mais eficaz.

O próximo passo será eliminar a fase final da compra: em vez do consumidor ir à concessionária, a fábrica manda entregar o carro na casa dele.

Comentários: 1
 

Daniel Camillo
12/09/2017 | 06h12
Excelente iniciativa da FCA. Muitas vezes a overdose de informação mais atrapalha do que ajuda, assim todo esforço para entender o que o consumidor quer só pode ler elogiada. A única questão que tenho é de que forma essa plataforma vai alimentar a rede de concessionárias para garantir que o consumidor ao visitar a loja tenha uma continuidade da (boa) experiência de compra

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: